8 de outubro de 2007

Serra Dona Francisca

Esse passeio seria feito no feriado de 7 de setembro, mas como fomos pra Garuva, ficou pra outro dia. E esse dia chegou, fui pra lá no último sábado (06/10) com o Rafael.
Marcamos a saída pra 05:00h, acordei 05:02h e sai correndo desesperado. Seguimos pela marechal, atravessamos São José dos Pinhais e pegamos a BR-376 por 50km até a saída para Tijucas do Sul, já cedo enfrentamos muito movimento. A estradinha que leva até Tijucas do Sul é muito tranquila e passa por uma região bem bacana.
Chegamos em Tijucas do Sul 08:00h com 65km, a cidade é bem pequena, em volta da praça central tem um posto de polícia, a rodoviária, igreja, prefeitura, escola, e panificadora. Típico de cidade pequena. Paramos na panificadora pra tomar nosso café da manha, comemos 2 sanduíches de queijo e presunto e 1 pão de queijo, além de tomar uma garrafa de gatorade.
De estômago cheio continuamos pela estrada por mais alguns quilômetros, a região é de reflorestamento, são muitos caminhões transportando madeira. As 09:00h entramos na estradinha de terra, a região é muito bonita, muitos morros, o que deixou o passeio pesado, enfrentamos várias descidas e subidas bem inclinadas, empurrei a bicicleta algumas vezes. Em uma das paradas apareceu um monte crianças de bicicleta e ficaram olhando pra gente como se fossemos algo muito diferente.
Passamos pela divisa do PR com SC e chegamos em Bateias de Baixo, cidadezinha minúscula, paramos em um supermercado e entrei pra comprar mais gatorade e água, acabei comprando 1 litro de leite achocolatado e 1 suco de laranja, pra váriar todos ficaram me olhando como se fosse um ET, afinal, não deve ser todo dia que entra no mercado um sujeito todo sujo de poeira, capacete, mochila, sapatilha, e roupa colorida.
A estrada que liga Bateias de Baixo até a SC-301 está sendo asfaltada, e sobe quase o tempo inteiro, a partir desse momento o passeio começou a ficar puxado, as longas subidas, o sol forte, o calor subindo do asfalto, e o peso da mochila começaram a tirar minhas forças. Mas não demorou muito e chegamos na SC-301 as 11:20h. A idéia inicial era almoçar em Campo Alegre, mas como estava cedo decidimos tocar adiante. Paramos numa espécie de ponto de informações e aproveitamos pra reabastecer as caramanholas.
O trecho de asfalto até a serra que deveria ser o mais fácil e mais rápido foi o mais difícil e lento, a palavra serra mostra todo seu sentido nessa região, pra chegarmos na tão esperada descida sofremos, e muito. Enfrentamos subidas que pareciam não ter fim, e quando começavamos a descer, já vinha outra subida. Paramos embaixo de umas árvores pra descansar, fugir um pouco do sol e comer, pelo menos assim minha mochila ficou um pouco mais leve.
E foi assim durante um bom trecho, até que finalmente a serra desceu pra valer. Se não me engano, saímos de 900m pra ir até o nível do mar, porém, o total acumulado das subidas que enfrentamos, passou dos 1.700m. Ou seja, subimos duas serras.
A descida é muito legal, várias curvas de 180°, no meio do caminho tem um mirante com uma vista espetacular. Paramos pra tirar algumas fotos, não demorei e já segui descendo, o Rafael ficou um pouco mais de tempo e tirou algumas fotos minhas durante a descida.
Já quase no final da descida tem mais um recanto com uma cachoeira, terminei a descida e fiquei esperando o Rafael num posto de gasolina, ele chegou e continuamos pela estrada, passamos por Pirabeiraba e pegamos a BR-101. Fiquei bem ruim do estômago e tivemos que parar num posto de gasolina, aproveitamos pra fazer mais um lanche antes de seguir.
Fizemos o último trecho bem tranquilos e chegamos em Joinville as 16:00h.
Passamos pelo pórtico e seguimos pelas ruas de Joinville até a Rodoviária. Pedalamos em uma ciclofaxia por um bom trecho até chegarmos na rodoviária as 16:40h.
Compramos passagem pra Curitiba e chegamos na rodoviária de Curitiba as 19:00h.
Pedalamos 172km em aproximadamente 07:56h, média 21.6km/h.



Para ver todas as fotos no tamanho original clique aqui

3 comentários:

Angela.Ester disse...

achei muito legal a ciclofaixa!!!
poderia muito bem ser feita em muitas ruas em ctba, nas que nao tivesse calçada(ciclovia) e que ligasse centro á bairros, e nao só aos parques..

muito bonitas as fotos.

Eros disse...

Parabéns por mais uma empreitada. Fiquei cansado só de ler. Como é para levar a bike no ônibus? Paga excesso de bagagem? Têm que desmontar? Existe alguma burocracia? Por favor, dê maiores detalhes sobre esse assunto, pois tenho curiosidade em saber. Desde já, muito obrigado.

Leandro Tagliari disse...

Depende da empresa, na viação Graciosa cobram R$15,00 (mais caro que a propria passagem). Na catarinense me cobraram apenas uma vez uma taxa de R$5,00. E na princesa dos campos nunca cobraram, mas a taxa é de R$3,00.
Na maioria das vezes a bicicleta vai montada, acho que depende muito também do espaço livre no bagageiro do onibus. Os motoristas torcem o nariz quando ve bicicleta. Mas nunca tive problemas :-)