10 de janeiro de 2010

Porto Amazonas via Ponte dos Arcos

Tinha combinado com o Sergio pra fazermos mais um pedal com as patroas, dessa vez iriamos até Joinville ou Balsa Nova, mas devido a alguns contratempos a patroa não poderia ir, pra não ficar sem pedalar combinei com o Sergio de irmos até Porto Amazonas, passando pela Ponte dos Arcos no caminho. O Eduardo também nos acampanhou nesse pedal.
Seguimos de carro até São Luiz do Purunã, de onde iniciamos o pedal. Até a Ponte dos Arcos pegamos apenas duas ou três descidas, e como tinha vento a favor, chegamos bem rápido a ponte. A paisagem da região é muito legal, toda vez que vou pra lá acho o lugar mais bonito.
Bem próximo a ponte avistamos ao longe um trem passando, com isso atravessamos tranquilos. Após a travessia ainda ficamos esperando um tempo pra tirar foto de um trem passando por ela, mas o trem não veio, fomos encontrar ele bem depois.
O trecho a seguir foi complicado, pedalamos pelos trilhos por 2kms até chegar numa porteira, por onde iriamos passar, mas devido a quantidade de vacas e bois acabamos desistindo da idéia.
Então após mais 3kms pedalando pelos trilhos chegamos no viaduto com a estradinha certa, durante o caminho o Sergio acabou quebrando a sola da sapatilha. Enquanto ele consertava apareceu o trem.
Seguimos adiante e já bem próximo a uma cachoeira furou o pneu traseiro na bike do Sergio, enquanto ele trocava a camara aproveitei pra bater algumas fotos da cachoeira. Muito bonito o lugar, se tivesse sol iriamos aproveitar melhor.
Pneu consertado, passamos por mais um porteira e seguimos pela estradinha, quanto mais próximo ao Haras mais bonita ficava.
Passamos pelo Haras e agora a estrada segue acompanhando o Rio Iguaçu até chegar em Porto Amazonas, onde chegamos 11:30h.
Porto Amazonas é uma cidade pequena e aparentemente calma, só achamos um restaurante pra almoçar, os outros deviam estar fechados pro almoço :-)
Aproveitamos a comida caseira e logo iniciamos a volta.
Já na saída começou a chover, seguimos um pouco mais e começou a chover forte, enfrentamos longas subidas embaixo de muita água. Até chegarmos numa estradinha de terra que corta caminho até chegar na 277. A estradinha estava bem difícil, conforme iamos passando as bikes iam afundando no chão, o pneu estava afundando de 2 a 5 centimetros na terra, bem pesado. Subimos praticamente o tempo todo, até que num trechinho de descida peguei um trecho que a bike afundou demais e decidiu me cuspir no chão, acabei caindo de lado. Se tivessemos seguido pelo asfalto teria sido melhor, pedalariamos mais e teriamos mais subidas, mas ao menos não teria caído.
Logo após entrarmos na 277 foi a vez da bike do Eduardo, quebrou o cambio traseiro e torceu a corrente, ele teve que seguir empurrando, pelo menos faltava pouco até chegar no carro, 10km.
Durante esse trecho passou por nós um ciclista que estava vindo de Cascavel e pretendia chegar em Curitiba, disse que já estava na estrada 5 dias. Não levava bagagem, apenas a roupa do corpo, duas sacolas e algumas garrafas de água, a bike era bem simples e estava sem o freio traseiro. Ele pedalava forte e logo nos deixou pra trás. A chuva não deu trégua um momento sequer.
Passamos pelo recanto dos papagaios, onde tinha várias pessoas. Aproveitei pra tirar um pouco da areia das pernas e braços, a roupa já tinha lavado antes de começar a pedalar no asfalto, quando caí me sujei bastante, com isso aproveitei uma poça de água pra me limpar.
Saíndo do recanto enfrentamos os 4km de subida até chegar no posto da polícia, onde encontramos o Eduardo, e dali seguimos pra São Luiz buscar o carro.
No posto onde deixamos o carro aproveitei pra comprar uma toalha, lá tinha chuveiro quente, pelo menos poderia voltar pra casa seco, só que ao chegar no banheiro não deu coragem de usar, só consegui tirar a sujeira e fui me secar e trocar de roupa do lado de fora. O Sergio e o Eduardo fizeram o mesmo, secos então fomos lanchar. Comi um pastel e um enorme x-tudo. Na hora de sair a chuva tinha quase parado. Pegamos o carro e começamos a voltar pra Curitiba, no caminho cruzamos por um acidente bem feio, chegando em Campo Largo paramos na salda de frutas e então seguimos pra Curitiba.
O total do pedal fechou em 60km.

Um comentário:

Rodrigo disse...

Quero fazer este pedal um dia destes!!

Abraços!

Rodrigo Stulzer
transpirando.com