2 de setembro de 2007

Campo Largo

Domingo, 02-09-07 fui com o João para Campo Largo. O Objetivo do passeio era conhecer a região para um provável passeio light com a Angela e amigos.
Saímos 07:00h do parque barigui e enfrentamos já na saída muita neblina. Seguimos até o posto da Polícia Rodoviária onde desviamos do asfalto e pegamos uma estradinha de chão que eu ainda não conhecia. Estrada com bastante lixo e muito lisa, mas ainda assim passamos por belas regiões, se não houvesse neblina com certeza seria melhor. Passamos por algumas bifurcações e acabamos saindo na Colônia D. Pedro, muito movimento de carros para a missa na igreja local e quando pegamos o asfalto senti um furo no psssneu. Como estávamos próximo de um posto de gasolina, resolvi seguir caminhando e consertar o furo dentro do posto.
Chegamos no posto e enquanto eu consertava o furo no pneu, o Joao aproveitou para limpar a bicicleta com o ar do calibrador de pneus. Como pegamos a estrada de terra molhada, juntou muita areia na relação da bicicleta. Quando estava tudo pronto para irmos embora, o João percebeu que o pneu traseiro da bicicleta dele tambem furou. Agora foi a minha vez de ficar limpando a bicicleta enquanto ele arrumava a dele.
Sem problemas, seguimos agora pelo asfalto. Paramos em uma borracharia para remendar as camaras furadas.
Antes de chegar no museu do mate atravessamos a BR pela passarela e seguimos novamente por estrada de terra. Fizemos o curto trecho que já conhecíamos para então entrar no techo "inédito" em nossos passeios. A estradinha começou bem, larga, leve, poucos buracos e por ela chegamos em outra igreja, de Faxinal do Tanque.
Desviamos em uma bifurcação e continuamos pela estradinha, agora as subidas começaram a aparecer e ficaram pesadas, subimos por um longo trecho até chegarmos em outra igreja. Nessa região já coseguiamos avistar a represa por onde passaríamos. Da igreja até a ponte foi apenas descida, e logo chegamos na ponte que cruza a represa.
A ponte não está em sua melhor forma de conservação, mas atravessamos na boa. Passamos por alguns esperançosos pescadores e paramos junto a água embaixo de algumas árvores. Aproveitei para lavar o rosto e as mãos. Quando voltava para a bicicleta sem perceber pisei numa pedra bem lisa e caí de maduro, esfolei a perna esquerda mas nada de grave, serviu para rirmos.
Saíndo da represa pegamos várias outras subidas puxadas, muitas bifurcações, outra igreja, agora da Colônia Mariana, e uma última longa e muito chata subida. Por fim, chegamos no asfalto, foi ai que percebi que erramos feio o caminho, e o final do circuito previsto foi todo alterado. Era para saírmos novamente na Estrada da Sereia, no entanto, saímos quase no centro de Campo Largo.
Como já estava quase na hora do almoço, pegamos a BR e iniciamos a volta, fizemos uma parada para comer uma salada de frutas e beber um suco de uva.
A volta foi tranquila, pegamos um sol muito forte e enfrentamos subida por subida até chegarmos no parque barigüi. Paramos para um caldo de cana, mas como não apareceu ninguem em 10 minutos para nos atender desistimos e fomos embora. No terminal do Campina do Siqueira o João pegou um caminho difenrete do meu. Passei ainda na Praça Rui Barbosa para tomar um sorvete, e depois peguei o caminho pra casa.
Cheguei em casa 13:30h com 84km.
Foi um passeio bonito e em parte novo. Não conseguimos fazer exatamente o roteiro previsto, mas o trecho que fizemos deu pra sentir que não dá para fazer um paseio light por ali.




Leandro

2 comentários:

jonatan disse...

Inda bem q vc foi na frente reconhecer a área... já pensou a chiadeira da patroa pedalando numas subidas pesadas ? ou passando numa ponte catatúmbica dessa? Passei por ali em 89... num tava podre assim não... era bem bonita... de madeira e sem pintura... agora tá só os cacos...

Angela.Ester disse...

eu ia xiar mesmo! hehehe