1 de maio de 2009

Cachoeiras Gêmeas - Bar do Paulo - Cachoeira da Professorinha

Aproveitamos o feriado de 01/05 pra fazer mais um pedal. Saímos 07:45h do Barigui em 4, Leandro, Mildo, Sergio e Daniel. Na hora estava frio e garoando, isso desanimou o resto do grupo, mas mesmo assim fizemos um pedal muito bom.
Seguimos por Santa Felicidade e pegamos a Estrada do Cerne, por onde seguimos até pegar a estradinha de terra que leva até o Cantinho da Nona, só que antes disso desviamos em uma bifurcação e já saímos na Estrada da Serrinha.
O plano era descer direto pela estrada principal, mas passamos pela entrada de uma trilha e resolvemos fazer ela. A última vez que tinha feito essa trilha faz mais de 6 anos, lembrava bem pouca coisa dela. Foi muito bom refaze-la, acabamos descendo toda a serrinha pela trilha, que tem uma paisagem muito boa e descidas com erosões bem fortes, durante o caminho encontramos alguns motoqueiros que nos explicaram o melhor caminho.
O problema é que o caminho estava todo destruido, cheio de valetas e no final a trilha estava bloqueada por passar por dentro de uma propriedade particular, o jeito ali foi pular a cerca e continuar até chegar na estrada de terra novamente.
Passamos por várias pedreiras, e como estávamos bem próximo, decidimos ir visitar as cachoeiras gêmeas.
A trilha é bem legal e pedalável até certo ponto, depois disso encostamos as bikes e seguimos a pé pra tirar algumas fotos.
Saindo das cachoeiras enfrentamos uma subida longa e pesada, pra dai então descer até o Bar do Paulo, onde almoçamos e ficamos até +-14:00h.
Pra voltar fizemos um caminho novo, pensávamos que iriamos escapar da subida da serrinha, só que acabamos subindo bem mais do que se tivessemos voltado pelo caminho normal, valeu a pena por conhecer mais uma cachoeira e pedalar numa estradinha boa e com bem pouco movimento. A segunda parada pra cachoeiras do dia foi na Cachoeira da Professorinha.
O trecho novo que fizemos da cachoeira até o cantinho da nona foi bem cansativo, subimos muito, foi um trecho bem travado. No caminho estourou um elo na corrente da bike do Sergio, consertamos na hora e seguimos pedalando. No caminnho tinha ainda mais uma opção pra conhecer mais uma cachoeira, mas segundo informação de moradores não valia a pena.
Chegamos no Cantinho da Nona +- 17:10h, aproveitamos pra comer uns pastéis e tomar uma coca bem gelada.
Na volta seguimos sentido lixão e subimos pelo asfalto por ser mais rápido, chegando em Curitiba subimos pela Raposo Tavares até a Cruz do Pilarzinho, ali cada um pegou o caminho mais prático pra chegar em casa.
O total fechou 87,53km com média final de 14,08km/h, velocidade máxima de 53,87km/h e um acumulado de 1998m de subidas, equivalente a duas subidas da serra da graciosa, o que explica a média tão baixa.

2 comentários:

Pedro Corvino disse...

Olá, Leandro, tudo bom? Eu gostaria de saber como faço pra chegar nas cachoeiras gêmeas de carro de Curitiba, você pode me ajudar? Valeu!

Leandro Tagliari disse...

Pedro, no link abaixo segue mapa com o caminho. Por esse caminho voce irá pegar apenas 5km de estrada de terra. No caminho passa pela Ouro Fino.

http://www.gpsies.com/map.do?fileId=lfygbvxefzxdnzle