8 de junho de 2008

Colônia D. Pedro

Sábado 07/06 fomos para a Colônia D. Pedro. Marcamos 08:00h na Havan Barigui, mas logo no inicio do pedal a Angela desistiu e voltou pra casa, ta meio fraca ainda por causa da gripe. Sendo assim fomos apenas eu e o Gert. Havia muita neblina e um pouco de frio quando saimos (9°C), o Gert pensou que logo o sol sairia e não levou nenhum casaco, e passou um frio danado, pois o sol foi aparecer somente após as 10:00h.
Saímos da Havan e seguimos pela BR277 sentido Campo Largo, até a entrada pra Colônia D. Pedro. Pegamos a estradinha de terra e seguimos até as cruzes, a vista que se tem desse local é muito boa, mas com a neblina não conseguiamos enchergar nada alem dos 20m. A partir desse ponto pegamos caminho novo, ao invés de seguirmos reto até a igreja da colônia, entramos pela rua das cruzes. Excelente idéia, de começo pegamos alguns bons quilometros de descida com a estrada parecendo um tapete, só não soltamos o freio porque havia muita neblina, mas mesmo assim valeu a pena, a descida é show, é o barulinho da terra nos pneus da bike vira musica! No fim da descida passamos por uma ponte e começamos a subir e passar por lugares muito legais, a região tem muitas bifurcações, sendo assim, muitas opções de pedal. Tentamos ficar a maior parte do tempo andando pela estrada principal, mas tinha horas que todas pareciam principal, no fim acertamos o caminho. Em certa altura estávamos passando por uma propriedade sem cercas, e cheia de cachorros. Foi só eu aparecer pra que todos eles viessem latindo em minha direção, tive que parar de pedalar e descer da bike, até pra me proteger, pois no meio deles tinha um grande. Passei empurrando e seguimos adiante, pegamos uma sequência de descidas novamente muito boa, só que curtas, chegando enfim ao asfalto da Estrada do Cerne, bem no centro de Campo Magro.
Andamos pela estrada por uns 2 quilometros e saímos em direção a Igreja Matriz e a uma gruta que eu ainda não conhecia. Paramos pra fazer algumas fotos e seguimos pro Cantinho da Nona, a intenção era fazer mais um trecho de caminho novo, mas eu não tinha tomado café da manha e a fome estava começando a bater, com isso, fizemos o caminho de quase sempre, e logo estávamos chegando. Fizemos um super lanche, e enquanto comiamos, os cachorros do local aproveitaram da nossa boa vontade e também comeram pastel :-)
Saímos em direção a trilha do lixão, já voltando pra casa, demos um puxada na estradinha, fizemos a subida do lixão sem paradas e chegamos no asfalto em 25 minutos após a saida da lanchonete. Já nessa altura podiamos contar que estávamos em casa, pois dali até o Parque Tingui só desce. Chegando ao parque subimos pela Raposo Tavares até chegar na Cruz do Pilarzinho, e de lá descemos pro centro, chegando em casa +-12:30h. Total de 59.10km, fechando um ótimo pedal. Temos que repetir o trecho novo com um dia de tempo aberto e explorar os outros caminhos, a região vale a pena.



Leandro

Um comentário:

Angela.Ester disse...

As fotos ficaram muito bonitas, até com neblina!
pena eu nao conseguir ir... to muito fraca ainda... a gripe acabou comigo mesmo... mas assim que tiver recuperada agente faz outro.
te amo