3 de novembro de 2007

Represa de Guaricana

Sexta fomos conhecer a Represa Guaricana da Copel em São José dos Pinhais. Saímos 05:30h do Estação: Eu, Rafael, Daniel, Rafael, e o João, pegamos a Marechal e seguimos até o centro de São José pra encontrar com o Zé. Aproveitei e parei pra comprar alguma coisa pra comer durante o caminho e tomar um chocomilk.
Saímos pela BR376, como era feriado, estava muito movimentada, andamos nela por aproximadamente 20km até entrarmos na estradinha de terra que leva até a represa. Já no início chegamos a uma imensa pedreira, perguntamos ao vigia se podiamos entrar pra tirar algumas fotos mas não foi possível, então seguimos pela estradinha rumo a represa, como tinha chovido muito dirante a semana, a estrada estava com muitas pedras soltas, mas sem poeira e areiões pra segurar a bicicleta. Enfrentamos boas subidas pelo caminho até que desviamos do caminho original, subimos por uma estradinha asfaltada até o topo do Morro Redondo onde tem uma estação repetidora da embratel, o lugar é bem alto, tanto que chegamos lá no meio de uma nuvem, uma pena, já que a vista lá de cima deve ser fantástica. Não demoramos muito e descemos de volta pra estradinha. A região é bem acidentada, ou está subindo ou descendo. Durante a ida tivemos um pneu furado na bicicleta do Rafael, consertamos rápidamente e seguimos, como todo mundo ainda estava animado o ritmo rendeu bastante. Chegamos na represa com 75km, o lugar é muito bonito e isolado, distante de tudo, o que salvou foi ter comprado o lanche em São José, senão estaria com um grande problema. Paramos pra descansar e comer, em seguida saímos a procura de uma forma de atravessar a represa e seguir por outra estradinha que estava a 1.5km de onde estávamos. Tentamos várias maneiras mas não tivemos sucesso em nenhuma. O plano então foi voltar 16km e entrar por uma estrada que nos levaria até a Represa de Chaminé (outra usina da Copel). Quando chegamos na bifurcação encontramos com um homem a cavalo que nos disse que se fossemos até lá teriamos que voltar pelo mesmo caminho porque não havia outra saída, pelo GPS o Rafael tinha mapeado uma saída que nos levaria até a BR376 na altura da Vossoroca, mas com o estávamos cansados achamos melhor não arriscar. O jeito foi voltar pelo mesmo caminho da ida, enfrentamos muitas subidas, todas longas e cansativas. Como nos alimentamos pouco, a energia acabou e seguimos bem devagar durante as subidas, durante uma curva em uma descida estava a +-50km/h quando bati numa pedra com a roda traseira e furei meu pneu. Paramos por uns minutos até eu terminar de trocar a camara e seguimos embora. O tempo estava muito instável, chovia a cada instante mudando a temperatura a toda hora. Em uma subida longa encontramos com alguns cachorros bravos de um sitio, os cachorros sairam pra estrada porque sua dona estava no portão conversando com algumas pessoas e nada fez pra nos ajudar. Os cachorros estavam quase nos mordendo e a dona nem ai. Incrivel a ignorância do ser humano. Mas tudo bem, com medo conseguimos escapar dos cachorros e seguimos nosso caminho. Por fim chegamos novamente na BR376. Sujos, cansados, e com fome. Pedalamos por poucos quilometros e paramos numa churrascaria com a esperança de comer um bom churrasco, mas devido ao horário acabamos nos conformando com salgados e doces. A chuva engrossou, coloquei uma camiseta seca e a capa de chuva por cima. Agora com o corpo quente foi mais confortável seguir. Na estradinha de terra não usei a capa porque suava demais e o pedal não rende, mas como ali faltava pouco pra chegar em casa e era só asfalto foi bom. Passamos por dentro de São José pra deixar o Zé em casa e continuamos até Curitiba.
Cheguei em casa com 149km e 09:36h de pedal. Bem cansado, mas com a sensação de missão cumprida. Dos 149km, pelo menos 80 foram em estrada de terra com muito morro. Com certeza esses 149km valeram mais que os 213km do passeio pra Joinville em maio desse ano.

Leandro

4 comentários:

Renato disse...

Cara, verifiquei todos os serviços de meteorologia e eles diziam que iria cair o mundo. Aí pensei, não vou entrar nesta roubada. Olha só o que perdi!

Abraços,

Renato

Renato disse...

Leandro, o Rafael não fez o percurso no gps? gostaria de tê-lo para aprender o caminho.

Renato

Rafa disse...

Oi Renato,

A trilha está em http://rgg.homelinux.com:8080/coppermine/albums/Cicloturismo/CuritibaGuaricanaCuritiba02112007/CuritibaGuaricana02112007executado.kml

Abraço!

Walther Grube disse...

Bacana essa aventura de vocês! Estou trabalhando próximo à usina de Guaricana e conheço bem o local. Fica aqui um convite para vocês conhecerem a estação de pesquisas que estamos construindo. Fica uns 2km antes da usina. É uma casa de barro com telhado de palha.